Home / Cotia / Câmara de Cotia sediou audiência pública do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado

Câmara de Cotia sediou audiência pública do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado

Texto e fotos por Victor de Andrade Lopes

Da esquerda para a direita: José Levy, Letícia, Brígida, Baraúna e Arthur.
Da esquerda para a direita: José Levy, Letícia, Brígida, Baraúna e Arthur.

A Câmara de Cotia sediou na tarde do último sábado (30 de setembro) uma audiência pública sobre o Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI). O plano é uma iniciativa do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de São Paulo (CDRMSP) em parceria com a Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano AS (Emplasa). O Granja News foi a única mídia da Granja Viana e Cotia a acompanhar o evento, que, embora aberto à população e divulgado por faixas e notas à imprensa, não teve grande participação do público, que não chegou a lotar a plenária.

O plano, ainda que leve em conta os planos diretores municipais, focará em ações integradas que tragam benefícios para todas as cidades da região metropolitana simultaneamente. Ele tratará de assuntos como mobilidade urbana, saneamento básico, habitação e meio ambiente.

Bríigida Sacramento
Bríigida Sacramento

Compuseram a mesa de discussões: José Roberto Baraúna Filho, secretário de desenvolvimento urbano de Cotia; Brígida Sacramento, representando o governo do Estado; José Levy, da comissão técnica do PDUI; Letícia, da Emplasa; Arthur Weigand, da sociedade civil e da Associação dos Arquitetos, Engenheiros e Técnicos de Cotia (AETEC); e Álvaro, da AETEC e da sociedade civil.

Baraúna e Brígida discursaram brevemente sobre a importância do plano, sendo que a segunda aproveitou para parabenizar o prefeito de Cotia, Rogério Franco, por sua vitória na
Justiça (veja detalhes na página 5 da nossa edição de setembro). Em seguida, Letícia conduziu o público por slides que apresentavam mapas e dados sobre o PDUI. algumas informações básicas sobre o plano, o Granja News já havia abordado em reportagem de capa de abril de 2016. Segundo a apresentação, o PDUI suscita três questões básicas: que metrópole queremos, como faremos para alcançá-la e o que está faltando para tanto.

Letícia
Letícia

Algumas das propostas já incorporadas pela apresentação são voltadas para a área da habitação, como a ideia de criar um Programa Metropolitano de Regularização Fundiária e Urbanística. Outras versam sobre saneamento básico pensado para a metrópole e soluções para a mobilidade, como a instituição de um Bilhete Único Metropolitano. Até um plano metropolitano de enfrentamento às mudanças climáticas foi proposto.

Até novembro, as audiências públicas seguirão pela Grande São Paulo. A meta é que até o final do ano a minuta da lei que regularizará o PDUI esteja pronta. Após a apresentação, os microfones foram cedidos à população e a representantes de entidades diversas.

Álvaro
Álvaro

Álvaro, da AETEC, falou de algumas propostas, como a criação de um porto seco para atender a região. Ele também falou do corredor metropolitano Cotia-Itapevi, que deverá ligar a cidade ao corredor metropolitano Itapevi-São Paulo.

Roberto Terrassi, da Associação Comercial de Embu das Artes (ACISE), chamou o PDUI de “chance de ouro”. Disse também que é fundamental melhorar as vias transversais da metrópole para que ela funcione melhor. “Ouvimos de uma senhora que ela acorda às 4h30 e leva duas horas e meia para chegar na faculdade”, disse.

Marcos Ummus
Marcos Ummus

O geógrafo Marcos Ummus, da Sociedade Ecológica Amigos de Embu (SEAE), apresentou, por meio de mapas, algumas informações curiosas sobre nossa região. Segundo ele, é possível aumentar a população das cidades por aqui em até 1,5 milhão, sem aumentar a densidade demográfica nem mexer nas áreas arborizadas. Ele finalizou sua fala com um alerta: devido à constante ocupação das áreas de várzeas em Cotia por aterros, o próximo verão trará as piores inundações que a cidade já sofreu.

Rodolfo Almeida, também da SEAE, disse que só porque a Grande São Paulo é composta por 39 municípios, não significa que todos precisem se conturbar. “A cidades não estão sendo competentes em frear a especulação imobiliária e a grilagem de terras. O interesse financeiro está fazendo muita pressão. Tem que levar a população de volta para os centros e levar empregos para as periferias”, disse.

José Batista Rodrigues
José Batista Rodrigues

Para José Batista Rodrigues, do Instituto Embu de Sustentabilidade, todos os municípios da região exceto Taboão da Serra estão sentados sobre minerais e cabe a eles zelarem por essas riquezas. “Se essas jazidas não forem protegidas, as próximas gerações vão perdê-las, pois elas serão esterilizadas por outros interesses e não poderão ser exploradas adequadamente de modo a financiar escolas, hospitais, etc.”

A moradora Solange Fernandes Resende, representando a sociedade civil, deu um relato cru de sua realidade e manteve a silenciosa atenção de todos na câmara. Constrangida por “não ter tido muito estudo”, ela se disse “triste” por não haver planos voltados para a população de baixa renda. “Aqui tem escola ao lado de esgoto, eu queria que o plano previsse fossa, esgoto. Eu não entendo, quem tem responsabilidade de mudar o Brasil não faz nada. Esse plano deveria olhar para a população mais pobre. Eu não acredito nele”, finalizou.

Gabriela Carvalho
Gabriela Carvalho

A turismóloga Gabriela Carvalho sugeriu a criação de um plano de manejo para a realização do turismo ecológico na região. Ana Alcântara, do Movimento Vivo Morro Grande, disse que Cotia tem ao mesmo tempo a pior e a melhor água possíveis e cobrou uma posição sobre o plano diretor de Cotia.

Em sua fala de encerramento, o secretário Baraúna atualizou a todos sobre a questão do plano diretor, que deveria ter sido aprovado em 2012: segundo ele, o plano estava pronto e previsto para discussão na pauta da legislatura passada da Câmara de Cotia. Contudo, devido ao fato de 2016 ter sido um ano político, o projeto acabou deixado de lado. Quando a nova legislatura tomou posse, a mesma informou a prefeitura que o plano não poderia mais ser discutido devido a limitações do regimento interno da casa e ele foi devolvido ao Executivo, voltando à estaca zero. Agora, cabe ao conselho da cidade reavaliá-lo.

José Roberto Baraúna
José Roberto Baraúna

Para ver mais detalhes sobre o PDUI, acesse www.pdui.sp.gov.br/rmsp

Mestre de cerimônias
Mestre de cerimônias
Ana Alcântara
Ana Alcântara
Roberto Terrassi
Roberto Terrassi
Rodolfo Almeida
Rodolfo Almeida
Olympia Navasques
Olympia Navasques
Solange Fernandes Resende
Solange Fernandes Resende
Alex da Força
Alex da Força
Luis Sadi
Luis Sadi

 

Sobre Granja News

O Granja News, jornal voltado ao público da Granja Viana e região, tem circulação em todo o centro comercial da Granja, parte de Cotia e em 90 condomínios da região, como por exemplo, São Paulo II, Nova Higienópolis, Fazendinha.

Leia também

cptm

Últimos dias de inscrições para concurso Aluno Aprendiz na CPTM

Curso técnico de Manutenção de Sistemas Metroferroviários é voltado para jovens que tenham concluído o …

Deixe uma resposta