Home / Cotia / População carente de Cotia poderá ter acesso gratuito a assistência técnica para habitação, aprova Câmara

População carente de Cotia poderá ter acesso gratuito a assistência técnica para habitação, aprova Câmara

Por Victor de Andrade Lopes

A Câmara dos Vereadores de Cotia realizou na noite da última terça-feira (17/4) sua décima primeira sessão ordinária de 2018. A sessão foi marcada pela longa leitura do projeto de lei complementar 6/2018, que reorganiza toda a administração municipal, definindo e estipulando funções para todas as secretarias da cidade. A propositura ainda não foi votada.

Já o Fundo Social de Solidariedade da cidade teve sua reorganização aprovada pelos vereadores por meio de projeto de lei próprio. Outros dois projetos lidos, mas adiados para a sessão seguinte, versam sobre o plano de carreira e o reajuste salarial dos servidores da Câmara, além da própria estrutura administrativa da Câmara. Foi adiada também a proposta de conceder título de cidadão cotiano ao prefeito de São Paulo João Doria, embora esta esteja agora prevista para daqui a 30 sessões (ou seja, para daqui a pouco menos de um ano).

Outro projeto aprovado foi o 8/2018, que isentará idosos e portadores de necessidades especiais do pagamento da Zona Azul na cidade. Por fim, os parlamentares aprovaram um projeto de resolução que altera o horário das sessões ordinárias das 19h para as 10h. É a quarta mudança em dois anos; o horário das 9h e das 17h também chegou a ser adotado nesse período. Na sessão do dia 27 de fevereiro, a câmara já havia discutido a possibilidade de alterar o horário das sessões (veja detalhes aqui).

Foi lido também o projeto 3/2018, que cria o programa municipal de assistência técnica pública e gratuita para habitação de interesse social. A ideia, sugerida pelo secretário de desenvolvimento urbano e ex-presidente da Associação dos Arquitetos, Engenheiros e Técnicos de Cotia (AETEC), José Roberto Barauna, visa criar um programa que permita à população mais carente ter acesso a projetos populares de arquitetura e engenharia de forma a melhorar a qualidade e a segurança das moradias mais simples na cidade. O secretário esteve presente na sessão, juntamente ao atual presidente da AETEC, Artur Berna, e o diretor da Defesa Civil de Cotia, Lincoln Júnior.

Paulinho Lenha
Boa parte da sessão ocorreu com a presença de apenas três ou quatro vereadores, especialmente durante a leitura do longo projeto 6/2018. Ao perceber o fato, o presidente Paulinho Lenha (PSB) explicou que os vereadores normalmente passam esse tempo reunidos na sala ao lado da plenária para discutir os projetos que ainda serão votados, pois normalmente eles já conhecem o teor dos textos lidos naquele momento.

Em discurso na tribuna, Fernando Jão (PSDB) aproveitou para esclarecer um mal entendido que aconteceu durante o evento de inauguração da revitalização do Atalaia (veja detalhes do evento aqui). “Eu falei que o [ex-vereador e secretário municipal de esportes e cultura] Cabo Givaldo lutou 20 anos para que aquilo acontecesse e já teve gente falando que eu o acusei de não fazer nada. O que eu quis dizer é que às vezes você luta anos por algo sem sucesso, e aí um outro vereador tem a sorte de conseguir mais rápido”, disse.

Edson Silva
Edson Silva (PRB) abriu uma rodada de críticas a quem tece comentários vistos por ele como negativos e não construtivos à atual gestão. “Quem reclama são pessoas que não aceitam o que é feito na cidade hoje. Deixem o prefeito trabalhar!”, pediu. Ele também criticou a ação de parte da imprensa amadora que atua na cidade. “Muitos jornalistas cujo diploma eu nunca vi vão pras redes sociais falar um monte de abobrinha, destruindo anos de estudo de quem se formou para exercer a profissão”.

Mudando de assunto, Edson voltou a falar sobre o problema das invasões dos espaços públicos na cidade. “Conversei com o secretário de habitação Sérgio Folha e ele disse que vai haver uma reunião com a Polícia Militar, o Ministério Público e a Guarda Civil Metropolitana para acabar com essas invasões”.

Professor Osmar
Professor Osmar (PV) reverberou as palavras do colega, mas disse que o problema das críticas não merece atenção. “Com um celular na mão, todo mundo se acha jornalista”, disse. Ele também continuou o assunto da habitação, denunciando a abertura de um loteamento clandestino em sua região.

O presidente Lenha aproveitou o ensejo para elogiar mais uma vez a união da Câmara e o próprio governo de Rogério Franco. “Eu não subi no palanque com o Rogério. Aí larguei a vaidade pessoal e hoje estou com ele, a Câmara está com ele!”

Marcos Nena
Marcos Nena (MDB) também refletiu sobre essas questões políticas. “Hoje em dia não se candidata mais a estadista, mas a político. A população está cansada de políticos! As eleições de 2016 acabaram. Não se escreve a história de Cotia com apenas 400 dias. Isso daria um livreto. Algumas coisas têm me causado nojo, e se um político sente nojo, é porque a população já deve estar vomitando. Ela quer ser ressarcida dos impostos que paga”, disse, antes de finalizar seu discurso com mais uma crítica a parte da oposição: “Vão trabalhar, vão enfrentar o que a gente enfrenta aqui!”

Celso Itiki (PSD) também discursou, no caso para comunicar que comerciantes de Caucaia do Alto estão preocupados com a proibição de estacionamento e algumas ruas da região. “Quase não há casas nelas”, argumentou.

Fernando Jão
Celso Itiki

Sobre Granja News

O Granja News, jornal voltado ao público da Granja Viana e região, tem circulação em todo o centro comercial da Granja, parte de Cotia e em 90 condomínios da região, como por exemplo, São Paulo II, Nova Higienópolis, Fazendinha.

Leia também

primeira-dama Lúcia França no palco, com diversas primeiras-damas e empresárias ao fundo em reunião do fundo social de solidariedade

Presidente do Fundo Social do Estado de SP participa de encontro com primeiras-damas e empresárias da Grande São Paulo

Evento foi realizado pelo Fundo Municipal de Vargem Grande Paulista que, na ocasião, também assinou …